16/10/2018

VINTE MULHERES


1. Alana só ia para a cama com homens mais velhos. Até a noite em que um deles teve um infarto durante o orgasmo e morreu em cima dela. Passou a sair apenas com rapazes com menos de 30 anos.


2. Arlete tinha incontinência urinária. Certa vez deixou escapar um xixizinho na boca do namorado durante um 69. Ele terminou com ela. Desde então, nunca mais deixou ninguém lhe fazer sexo oral.


3. Bárbara caía na gargalhada sempre que lhe tocavam os seios. Mais de uma vez mentiu que estava amamentando, para não ter de despir o sutiã e, assim, proteger-se das cócegas que sentia.


4. Eduarda jamais havia transado de pé. No dia em que tentou, escorregou no porcelanato molhado de um motel e fraturou o ilíaco. Atualmente, só consegue copular deitada e de barriga para cima.


5. Elza gritava quando atingia o orgasmo. Não entendia o motivo de seus namorados tamparem sua boca com as mãos, pois não percebia que gritava. Descobriu no mês em que foi multada pela síndica.


6. Estela não tirava o sutiã na frente de ninguém, pois tinha o seio esquerdo bem maior que o direito. Logo que juntou dinheiro, fez um implante de silicone. Agora o direito está maior que o esquerdo.


7. Germana se masturbava enquanto escovava os dentes. A escova na mão esquerda e o clitóris na direita, em movimentos sincronizados. As duas atividades duravam o mesmo tempo.


8. Jussara não sabia se gostava mais de homens ou de mulheres. Quando era penetrada, imaginava-se lambendo um xoxota. Quando lambia uma xoxota, suplicava por um pau de verdade.


9. Lúcia não era muito fã de sexo, preferia uma boa conversa. Ia para a cama com qualquer um que aceitasse a sua única condição: meia hora de papo antes e meia hora de papo depois.


10. Maria nunca tinha visto um homem mijando. Nem pai nem irmão nem primo nem namorado. No Carnaval, saiu mascarada, vestida de homem. Finalmente, num beco, viu vários ao mesmo tempo.


11. Nicole chorava sempre que chegava ao orgasmo. Chorava de soluçar. E aproveitava-se disso para chantagear seus homens emocionalmente, arrancando-lhes confissões de amor eterno.


12. Regina roçava os dentes no pau de seus parceiros. Ela não sabia que fazia isso. Quando um deles ousou avisar, Regina agradeceu, caprichou no boquete e, no final, mordeu até sangrar.


13. Rosana morria de nojo de sêmen. Não suportava nem o cheiro nem o gosto nem a textura. No dia a dia, evitava a todo custo: água sanitária, detergente de coco, creme de milho e iogurte natural.


14. Sibila tinha medo de fazer sexo anal. Dizia que, para preservar a virgindade de alguma parte do corpo, só faria o sacrifício durante a lua de mel. Está com 55 anos de idade e até hoje não se casou.


15. Sônia também tinha pavor de pensar em sodomia. Também dizia que só faria o sacrifício depois de casada, como prova de amor. Casou-se com um homem que dava a bunda para outros homens.


16. Suzane desmaiava por alguns segundos toda vez que gozava. Ela nunca contou isso a ninguém. E dos poucos homens que a fizeram gozar com penetração, nenhum desconfiou.


17. Tainá sentia vergonha do próprio corpo. Apesar dos elogios aos seus seios bem-desenhados e à sua grande bunda firme, não confiava nas opiniões masculinas. Trepava sempre com a luz apagada.


18. Vanessa sempre transava no trabalho, com um colega de setor por quem se apaixonara. Conhecia todos os pontos cegos das câmeras de segurança. Jamais deu para o rapaz em outro lugar.


19. Vera gozava rápido com seu amante, dificilmente demorava mais do que cinco minutos. E assim que gozava, uma vez apenas a cada visita, pegava suas coisas e ia embora, sem se despedir.


20. Zélia 
chamava pau de pênis, buceta de vagina e usava lingerie bege. Arranjou um marido que fumava charuto e calçava sapatênis. "Amor não precisa de sexo", concluiu em pouco tempo.
  

Nenhum comentário:

Postar um comentário